segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Avaliação ou Circo...



Sinceramente, circo, é a palavra que melhor traduz a avaliação a que me sujeitei hoje.
Durante cerca de uma hora, senti-me o verdadeiro palhaço.

A verdade é que ia ter "exame" para passar de nível - Iniciados 3 para Intermédios 1 - falo de níveis de Salsa, entenda-se.

Para tornar a coisa credível, a avaliação (que eu julguei contínua) ficaria a cargo da uma das mais altas autoridades da instituição. Alguém com quem me havia cruzado uma única vez.

De acordo com as instruções, a malta lá avançou para um exercício que impunha a criação de uma breve coreografia. "É simples e vocês estão fartos de fazer isso" - dizia a M.
O que queria ela dizer com isto?! Ainda me sinto longe do Alzheimer, e felizmente os meus colegas também. Tínhamos feito este tipo de exercício apenas uma vez.

Mas siga... sem medos.

A malta começou a perder o controle e os nervos, e irritações começaram a apoderar-se de todos.

Colectivamente, achei que estávamos mais dispersos que nunca.
Do "alto do palanque" o P. (não o professor) não escondia a sua irritação e (desculpem-me a frontalidade) a sua má vontade - um ar de frete que metia medo.

Mas siga... avancemos.

Passada a fase de apresentação da coreografia, a verdadeira visão do inferno, passámos para a Salsa Social e lá rodámos mais 15 minutos.

Ainda a coisa não tinha terminado, e já o "avaliador" tinha partido para mais uma aula - afinal, importa facturar. Falar com a malta? Não lhe apetece, não tem tempo...

Posto isto, coube aos habituais professores chamarem os senhores do ritmo, ou da falta dele...
Na realidade, todos aptos, mas com necessidade de trabalhar mais...
Sugestões - fazer mais umas aulas...

Terá isto algo de comercial?! Se o excesso de ritmo causa ruído, o que causará a falta dele?!
Avaliações com meias palavras não valem nada. Há que chamar as coisas pelos nomes e quem tem medo... Compra um cão!

Bem vistas as coisas, o que se quer dizer com: "antes não havia exame e nós falávamos com as pessoas, chamava-mo-las à parte e sugeríamos que fizessem outras aulas. Mas as pessoas reagiam mal"(...) "agora, fazemos o exame e aconselhamos que façam outras aulas para complementar".

Calma N.!! Lá estás tu a explorar a tua veia de escorpião. Não leves as coisas tão a peito...

Sei que a minha dislexia me leva a trocar a esquerda com a direita.
Sei que às vezes vais atrás o pé errado.
Mas falta de ritmo?! Essa nunca me tinham dito.
Teria sido simpático. Digo eu?!

O que vai acontecer? Pois não sei.
Nunca quis ser salseira profissional.
Neste momento, sei fazer o suficiente para me divertir e esse era o objectivo.
Provei a mim mesma que era capaz de o fazer sem que tivesse agarrada a alguém que me acompanhasse. Um desafio que agarrei sozinha. Com toda a firmeza e determinação.

Agora, depois da palhaçada de hoje, confesso que não sei se me apetece mais. Não sei se me apetece assim. Não sei se me apetece ali...
Até ao fim do mês apetecerá certamente.
Depois, logo se verá.

Talvez seja a hora de partir para novas aventuras.
Não se trata de desistir, de faltar ou de deixar de ir.
No limite, tratar-se-á de mudar. De experimentar uma erva nova, quem sabe igualmente viciante ;-)

P.S. - Acho que aí do outro lado me percebe, não é?!

2 comentários:

Anónimo disse...

Querida Amiguinha, como eu te entendo!!!! Afinal até pareçe que tomei a decisão certa no momento certo, sim, é que conhecendo-me como me conheço, frontal, sem papas na lingua e honesto ( para outros a visão é diferente eu sei, espalhafatoso, gosta de armar confusão, tem a mania; mas não é para esses que eu "vivo" ) tenho a certeza que iria ter um dos meus ataques de frontalidade e iria fazer mais alguns amigos para alem da M. e do E., os antigos, tu entendes-me....
Infelizmente senti que algo andava ali mal e como eu estou ali pelas mesmas razões que tu tão bem descreveste e por outras mais que me fazem bem, decidi mudar; e olha que surpresa, estou a adorar, rever com mais calma os passos, ser advertido por pequenos pormenores que fazem a diferença, pela turma... só é pena que sinto a falta de ti e mais uns poucos...
O meu conselho minha querida, não desistas, continua o teu rumo mesmo variando o caminho, assim pelo menos terás possibilidade de comparação e de formares a tua opinião com factos mais concretos; tipo aqueles que nos levaram a constatar que a M. e o E. como professores deixavam muito a desejar qd comparados com o nosso P e a nossa adorada Mi. que nos teve que deixar.
Cada macaco no seu galho, e nós sabemos que á macacos que não sabem andar nas arvores!!!!
Mas conto contigo para nos divertirmos nas nossas proezas "suadas" da Salsa.
Bjnhs
A.

AAC disse...

Sabes que não quero perder a tua companhia, mesmo que te acusem de falta de ritmo.
E tu sabes que eu sei que tu sabes que eu sei que, na realidade, não é verdade que te falte o ritmo.
Fazes demasiada falta ao grupo e demasiada falta a este teu amigo.
Como disse o A., acima, não desistas.
Levei demasiado tempo a encontrar este post, mas essa é a história de sempre, porque também levei demasiado tempo a encontrar-te! :-)
Até logo ...