segunda-feira, 29 de junho de 2009

Sir Elton John...

Gosto de ouvir Elton John desde que me conheço... e eu conheço-me muito bem.
Por isso, desde que foi feito o anúncio que estava decidido que não ia perder este concerto - mesmo que fosse no Estádio do Restelo, e em vez de uma bela tosta no Peter's, o jantar se resumisse a uns quantos "pastéis de belém" - para que vejam os sacríficios que estava disposta a fazer ;-)

Acabei de chegar do Pavilhão Atlântico e posso assegurar que foi um concerto e tanto!!
Para mim, foi mesmo "o" Concerto.

É certo que a minha cabeça não parava de carburar, mas cedo me decidi a desfrutar ao máximo o momento. E se bem pensei, melhor o fiz!


Elton John regressou hoje / ontem, dia 28 de Junho, a Portugal para uma noite memorável. Uma noite de grandes músicas e teve "casa cheia" no Pavilhão Atlãntico - modéstia à parte, os "tugas" foram excelentes anfitriões.

O músico, no auge do profissionalismo, regressou a Portugal com grande espectáculo integrado na sua Rocket Man Tour 2009 com a sua banda.
Durante duas horas e meia, Elton John conquistou o público dos 08 aos 80 anos que encheu por completo o Pavilhão Atlântico com canções que fazem parte das nossas vidas.



O espectáculo foi um verdadeiro "best of" em que não faltaram clássicos como Goodbye Yellow brick road, Daniel , Candle in the Wind (na versão dedicada a Merlyn Monroe) e mais cantados : Your Song (encore), Crocodile Rock (que pôs o pavilhão a dançar - foi o verdadeiro "tira o pé do chão"), Sad songs (they say so much), e Sorry seems to be the hardest word (e não é que é mesmo), entre muitos outros.


Muito simpático e surpreendido com a excelente reacção do público (há que não esquecer a birra que fez há uns anos no Casino do Estoril em que se recusou a cantar), Elton John não se cansou de agradecer a noite bem passada e até dedicou Don't let the sun go down on me a "Cristiano e à sua família - o mais caro jogador do mundo e o melhor futebolista do mundo".
Para mim, o momento menos interessante da noite, mas ok... dou de barato...

Aqui está a foto, para quem teimava que ele não estava lá... Eu sabia, ok?! Eu já o tinha visto antes, ok?! e no camarote... E depois nós (os escorpiões) é que somos teimosos, donos de um mau feitio do pior...
Definitivamente, este foi um concerto recheado de grandes sucessos.
Momentos que me marcarão para sempre.

Setlist
- Lisboa Pavilhão Atlântico:


- Funeral For A Friend
- Love Lies Bleeding



- Saturday Night's Alright For Fighting
- Burn Down The Mission



- Goodbye Yellow Brick Road
- I Guess That's Why They Call It The Blues
- Daniel
- Honky Cat
- I Want Love


- Rocket Man
- Sad Songs
- Take Me To The Pilot
- Sorry Seems To Be The Hardest Word



- Tiny Dancer
- Sacrifice



- Don't Let The Sun Go Down On Me
- All The Young Girls Love Alice
- Candle In The Wind



- Skyline Pigeon
- Are You Ready For Love


- Bennie And The Jets
- The Bitch Is Back
- Crocodile Rock
- I'm Still Standing
- Your Song

Com uma carreira invejável, é um dos mais talentosos e conceituados compositores da actualidade, com inúmeros prémios conquistados entre eles 5 Grammys, um Grammy Legend Award e um Óscar pela banda sonora do filme O Rei Leão.

A lista de feitos de Sir Elton John é bem extensa: Elton foi o único artista na história da música que conseguiu colocar seis discos consecutivos no primeiro lugar da Billboard (o álbum Captain Fantastic and The Brown Dirt Boy entrou directamente para o número um desta tabela, algo nunca antes conseguido).
É dele também o single mais vendido da história da música – uma adaptação da canção "Candle in the Wind" (em 1997) em homenagem à amiga pessoal, Princesa Diana que vendeu mais de 33 milhões de cópias.
Com uma carreira marcada por mais de 500 composições e 32 álbuns, Elton John foi também o único artista no mundo a atingir a marca de 60 concertos ao vivo no Madison Square Garden – o mítico pavilhão nova-iorquino.

Esta noite provou porque é Sir...
Eu Amei!!
P.S. - Obrigada pela vossa, boa, companhia - X., A. e C.

domingo, 28 de junho de 2009

Linda Demais...



Roupa Nova - Linda Demais acústico ao vivo

sábado, 27 de junho de 2009

Os melhores do Mundo...


Tinha a certeza que ia ser assim!
Gostamos muito de Vocês ;-)

P.S. - Esta noite vamos, finalmente, dormir...

Parabéns para ti...



A... não podia ser de outra maneira ;-)
Ainda assim... foi!

Um beijinho, uma beijoca, um beijo, um beijo grande....
Pouco importa o tamanho do beijo.
Importa o sentido, o sentimento e a demora....

Por isso, não um, mas muitos sentidos e demorados ;-)

Parabéns T...



Para a minha menina, o desejo de um dia em Grande.
Porque sei que gostas do ritmo, "minha babe"... enjoy it.

Tudo de bom para ti. És uma pessoa (muito) especial.

Um beijo muito grande ;-)

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Michael Jackson morreu...

A estrela pop Michael Jackson morreu esta quinta-feira em Los Angeles aos 50 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ e oficialmente confirmada pelas autoridades locais ao jornal «The LA Times».

A publicação adianta que o músico sofreu uma paragem cardio-respiratória e não respondeu favoravelmente às manobras de ressuscitação por parte dos paramédicos, que o tentaram socorrer em sua casa.

Michael Jackson: um percurso em imagens

O «Los Angeles Times» adiantou que Jackson fora levado para um hospital de Los Angeles, depois de uma paragem respiratória. O jornal refere que o «rei da pop» entrou no Hospital Ronald Reagan UCLA em coma profundo, tendo sido declarado morto posteriormente.
O jornal cita o capitão Steve Ruda, que disse que quando os paramédicos chegaram a casa do cantor este já não estava a respirar.

A equipa de socorro médico deslocou-se ao palacete de estilo francês que o cantor alugou por cem mil dólares durante um mês. O jornal descreve-o pormenorizadamente, dizendo que se trata de uma construção luxuosa de 2002 com sete quartos, 13 casas-de-banho, 12 lareiras e um cinema. O palacete, refere ainda o «LA Times», fica a seis minutos de carro do hospital.

Nas imagens que se podem ver nas cadeias televisivas internacionais em directo, dezenas de repórteres juntam-se à entrada do hospital.

Há vários anos que surgem notícias sobre o seu estado de saúde e ainda no início deste mês o tablóide «The Sun» escrevia que o cantor estava a morrer por causa de um cancro de pele.

O cantor preparava-se para regressar aos palcos este Verão, tendo vendido um milhão de bilhetes para 50 actuações na O2 Arena de Londres que se prolongariam até 2010. O início destas actuações, esgotadas rapidamente, esteve inicialmente previsto para dia 7, mas foi adiado uma semana, para 13 de Julho, por motivos técnicos, segundo alegaram os representantes do cantor na altura.

A imprensa norte-americana acrescenta que Jackson sofria há algum tempo de cancro de pele, motivo por que ainda há alguns meses, cancelou a tournée que tinha agendada em Londres. Michael Jackson deu entrada nas urgências de um hospital de Los Angeles, na Califórnia. O cantor norte-americano recebeu reanimação cardio-respiratória antes de ser transportado para o hospital, ao início da tarde, e não respirava quando deu entrada nos serviços de urgência.

A notícia da morte foi avançada pelo site TMZ.




Michael Jackson Thriller 1983 Original MTV Video
Lembro-me tão bem ;-)



Michael Jackson - Bad
Há tanta gente por aí... são mais que as mães :-(



Michael Jackson - They Don't Care About Us (Prison Version)
Provocatória...



Michael Jackson Dangerous



Michael Jackson - Earth Song
Adoro!



Michael Jackson - Black or White
Uma pergunta constante...



Michael Jackson - Spirit
Sempre irreverente...

Mesmo não sendo grande fã, ficará, o concerto de Michael Jackson no Estádio de Alvalade, a 26 de Setembro de 1992. Um grande espetáculo. Uma noite da qual me recordarei sempre!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Amanhecer...



Susana Félix - Amanhecer

"Sarar as feridas e amanhecer" - está tudo dito!!

Eu estou cá ;-)

Para não esquecer...



A ideia era treinar salsa, mas vai daí...
mudámos de merediano e latitude ;-)

P.S. aqui fica um resumo do que aprendemos,
para não perderes "pitada". Para a próxima, queremos-te lá!!

Um grande beijo Amiga!

Obrigada pelo teu carinho ;-)

Nota - aos senhores, que me acompanharam...
Obrigada pela companhia!!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

To much...


A cada hora que passa, mais admiro a tua forma de estar.
Não havia necessidade... Definitivamente, não havia!
Eu sei que não está a ser fácil... Eu sei que custa... que custou... e que vai custar.
Eu sei que dói... se dói.

Mas tu... És grande e tens...
entre outras coisas, o meu apoio!

Incondicional ;-)

Para reflectir... e agir...



Chicken a la Carte, de Ferdinand Dimadura

Sabemos que existem determinadas realidades no mundo que fingimos desconhecer, pois como vivemos em sociedades, digamos que, diferentes, ficamos indiferentes, porque quem não vê caras não vê corações.

Apesar da crueza destas imagens, os "nossos filhos" também deveriam ver o filme para darem valor ao que têm, e aos bens de primeira necessidade que muitas vezes desprezam.

Vale a pena pensar nisso... e claro, agir!!!

P.S. - É impossível ficar indiferente à parte em que uma família agradece, em oração, os alimentos que tem ao seu dispor...

terça-feira, 23 de junho de 2009

Uma, de muitas, faces do Irão...


A morte de Neda, uma jovem iraniana, foi filmada e o vídeo colocado no You Tube. A rapariga está a transformar-se num símbolo da revolta da oposição iraniana, que pede a recontagem dos votos das presidenciais.

Não se sabe muito bem como começou a divulgação deste vídeo que mostra a morte perturbadora de uma jovem iraniana que, com cerca de vinte anos, foi morta nos protestos da oposição.

Atingida por uma bala no peito, Neda - como lhe chamam na Internet - é já um dos tópicos (ou hashtags) mais vistos no Twitter.

O vídeo que mostra a sua morte e a tentativa de reanimação por parte daqueles que se acredita serem seus familiares está a circular pelos websites e televisões de todo o mundo.

Neda é uma das vítimas da repressão do regime iraniano, que impediu os protestos a favor de Mousavi. Os manifestantes acreditam ser este o legítimo vencedor das eleições presidenciais no Irão.

O candidato Mousavi já pediu - com o apoio de alguns líderes internacionais como Angela Merkel - a recontagem dos votos. Os protestos duram há vários dias e, até à data, terão provocado pelo menos treze mortes.

A imprensa internacional compara a jovem iraniana assassinada no último sábado, durante protesto em Teerã, ao rebelde chinês fotografado em frente a uma fila de tanques na Praça da Paz Celestial, em Junho de 1989.
Neda Agha Soltani levou um tiro durante uma das manifestações que se tornaram rotina no país desde a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad, no dia 12 de Junho. A oposição acusa o governo de fraude na eleição e não aceita a vitória do candidato conservador.

Jornais de diferentes partes do mundo estamparam nas primeiras páginas imagens da morte de Neda.
Apesar de a imprensa internacional ter sido impedida de filmar e fotografar as manifestações da oposição, os iranianos têm usado a internet para espalhar pelo mundo episódios violentos registrados no país.

A comparação entre Neda e o chinês, ainda hoje considerado símbolo da repressão no país asiático, foi feita pelo jornal britânico The Independent, que destaca que a iraniana não escolheu ser uma mártir, não se colocou em frente às câmaras - que sequer estão autorizadas no país. Ainda assim, a difusão de sua história pelo mundo motivou manifestações e tornou seu rosto a imagem da luta contra o governo iraniano.

As publicações americanas Chicago Tribune e New York Times e as brasileiras Folha de S.Paulo, Estado de S. Paulo e O Globo, por exemplo, escolheram fotos das manifestações em outras partes do mundo pela morte de Neda. Uma das imagens mais difundidas é a de velas, mensagens e fotos reunidas em Dubai, nos Emirados Árabes, em homenagem à jovem assassinada.

O jornal chileno El Mercurio e o americano Los Angeles Times optaram por uma imagem mais forte, dos últimos instantes de vida da iraniana. A gravação que mostra algumas pessoas tentando reanimar Neda logo depois do disparo, ainda no meio da rua, se espalhou pelo mundo ainda no fim de semana, por meio do site de vídeos YouTube, apesar das dificuldades impostas pelo governo para o acesso à internet.

Sob o título "Eu sou Neda. A face trágica do Irã", o jornal The Times estampa sua capa com fotos da jovem estudante de Filosofia antes da morte trágica e outra estlizada do momento em que ela foi ferida, com o rosto ensanguentado.

Segundo disse o noivo de Neda à BBC, sua família foi proibida de realizar um funeral para a jovem. Caspian Makan disse que as autoridades religiosas e a milícia Basij, pró-governo, impediram os parentes de realizar uma cerimónia religiosa dedicada à jovem numa mesquita por temer que ela se torne um símbolo dos protestos.

"As autoridades estão cientes de que todos no Irã e em várias partes do mundo sabem o que aconteceu com Neda", afirmou Makan, que se identificou como fotojornalista. "Eles temiam que muita gente fosse à cerimónia religiosa, e eles não querem mais confusão", disse.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

És Grande Mano...


“Coragem não é, uma pessoa atirar-se para o desconhecido…
a isso chama-se inconsciência!
Coragem é, uma pessoa conhecer todas as dificuldades extremas de determinada situação…
e ainda assim, atirar-se para essa realidade!”
Cor + Agem = Coração + Acção com a Razão

A cada dia que passa mais te Admiro!!
Força Mano!!

domingo, 21 de junho de 2009

Porque um olhar vale muito...


Mano, estou contigo incondicionalmente.
Doa a quem doer!!

Lisboa Bike Tour 2009...



Mãe , Pai - estou aqui!!!!

O dia começo bem cedo... depois de uma noite nada dormida...
À hora combinada, lá estava eu, devidamente equipada para a grande aventura.

Desde sempre que a oportunidade de atravessar a Ponte Vasco de Gama me cativou. É uma sensação de libertação. Confesso que por vezes dou por mim a atravessar a ponte e voltar. É uma lufada de ar fresco... Gosto!

Há muito que dizia que ia participar numa edição do Lisboa Bike Tour, e eis que o dia chegou!!
Nada como um belo grupo para ajudar à boa disposição - B., H.P., J. e marido, A.E., M.A. T.M. e V.M. - o que nos rimos!!

Equipada a rigor, lá fui eu!
Confesso que terminei a prova muito orgulhosa de mim, longe de ter a preparação física em dia, a coisa fez-se com relativa facilidade.

A bicicleta é gira, coube no bólide à primeira, e a experiência fantástica!! Mais uma experiência a repetir ;-)

A quem tenciona vir a participar numa próxima edição do Lisboa Bike Tour deixo aqui alguns conselhos:

1. - A prova deste ano decorreu num dia de num dia de muito calor, tal como aconteceu em 2008.... por isso nada como levar um protector solar.... afinal, há que contar com algum tempo de espera até que a prova se inicie... e como a Ponte Vasco da Gama não é coberta, mais vale prevenir do que remediar ;-)

2. - Aconselho ainda que levem umas garrafinhas de água congelada... ela descongelará de forma natural e gradualmente poderão deliciar-se com água fresca, e não com cházinho ;-)

3. - Quem chegar mais cedo, mais à frente ficará para partir.... quem chegar mais tarde fará pelo menos mais uns 2 Km´s, pois fazer uma distribuição de 7.500 bicicletas, não ocupa o mesmo espaço de 7.500 pessoas....quando os últimos partirem já muitos terminaram os 13 Km´s de prova.... Convenhamos que tivemos uma sorte... Fomos dos primeiros, mesmo assim e sem ter muito que esperar, mas também, éramos VIP's ;-)

4. - Levem um apoio de gel para o selim (eu levei) ou uns calções próprios de ciclista, sobretudo quem não está habituado a andar de bicicleta não convém esquecer.... vão ver que no dia a seguir estarão muito melhor....

De resto, nada como levar kilos de boa disposição e aproveitar a paisagem, pois não é todos os dias que podemos passar a Ponte Vasco da Gama de bicicleta..... e desfrutar.

Claro que tirei fotos, mas havia dúvidas?!

Mas a verdade, é que tudo é bom quando acaba bem, o que não foi o caso, pelo que deixo aqui algumas críticas:

Durante a prova, fiquei indignada com uma situação, a falta de assistência médica. A única ambulância que vi no tabuleiro da ponte, estava próxima do "palco" da RTP, onde teve início a prova...

Talvez por isso, não se conseguiu evitar que um dos participantes tivesse morrido de ataque cardíaco, em pleno tabuleiro da Ponte Vasco da Gama.

Quando passei por este participante, ele estava a ser assistido por uma socorrista da C.V.P., enquanto outro participante solicitava apoio do INEM.
Face ao exposto, eu a a H.P. decidimos seguir pedalando, até que depois de muito pedalar, encontramos a J. e o marido que parados na berma da ponte apreciavam o cenário.
Juntos comentamos o incidente que havíamos visto.

Na altura, recordo-me de ter comentado "ainda não vi nenhuma ambulância. De facto, se acontece qualquer coisa grave, bem que uma pessoa pode morrer aqui". Todos concordámos neste ponto.

Quando retomámos a nossa marcha - leia-se - pedalada, chega então uma ambulância do INEM (e o desfibrilador) - seguramente, vinte minutos depois de comunicada a ocorrência. Todos comentamos o facto.
Ninguém me contou. Eu vi!! Nós vimos!!

Ainda durante a travessia pelo tabuleiro, eu e a H.P. tivemos oportunidade de comentar e manifestar a nossa indignação: Mas então um acontecimento desta natureza, que envolve mais de 8500 participantes não tem uma ou duas ambulâncias no local de prevenção a qualquer eventualidade?

Possivelmente , a vítima poderia não ter salvação mas um evento como este deveria estar melhor organizado e preparado para todas as eventualidades. Aparentemente a ambulância do INEM fez o seu percurso pelo percurso das bicicletas (sentido Lisboa - Montijo) em vez de o fazer pelo corredor que supostamente estava fechado para o efeito.

Fiquei revoltada quando soube da morte deste participante, que tal como eu, só queria divertir-se. É certo que não sei se tem antecedentes cardíacos, mas atendendo à grandeza da prova, a falta de assistência atempada foi indiscutível.

Tendo em conta o calor que exista em cima da ponte, e a falta de condição física de muito dos participantes, também não se admite que não existissem locais de distribuição de água em nenhum ponto do percurso. O único ponto em que se distribuía água, era já depois do fim do tabuleiro, junto à saída em direcção ao Parque da Nações. (ainda assim, fica a nota positiva para o auto-tanque dos bombeiros que no meio do tabuleiro nos deu um duche - que fez as delícias de todos, excepto na parte em que o protector solar escorregava para os olhos... )

Como se isso não bastasse, ainda presenciei um "atropelamento" provocado por elemento da organização, que numa viatura da Skoda literalmente atirou ao chão um dos participantes, depois de ter tocado em dois...

A organização (Grupo Sportis e o Instituto da Droga e Toxicodependência) do evento deixa muito a desejar!!! Há coisas mais importantes que a Qualidade das Bicicletas...

Confesso a minha revolta!!!

P.S. - Parabéns H.P. - estiveste em grande!! Ninguém diria que estás em pleno ciclo de sessões de SPA.... Se não fosse a "je" a impor paragens, estavas como a B...

Infecto-contagioso...

Para que não vos falte nada...

P.T. e P.S., segue a lição número 1. Disfrutem ;-)

Em Portugal é comum dançar-se em 1, ou seja, iniciar a base da salsa nesse tempo, como ilustra a imagem (base do homem):


A base da salsa é composta por oito tempos musicais, que se distribuem por dois compassos quaternários.

Para identificarem o tempo 1, podemos servir-se das batidas da clave, do som mais forte (frequentemente, na voz, no baixo e nos instrumentos desopro) e/ou tentar identificar um padrão sonoro/frase melódica que se vai repetindo ao longo da música e iniciar a base quando este começa.

Exprimentem ;-)

E que tal?! Quarta-feira alinham em mais uma rodada?!

Nota - Qualquer dia, a Salsa vira Pandemia ;-)
Ou então... droga legal ;-)

Nós Depois Telefonamos...

Depois de muitos ensaios, avanços e recuos... chegou finalmente o grande dia!! Foi ontem.

Primeiro uma sessão em moldes ligeiramente diferentes do habitualmente ensaiado... um "ensaio com público", numa Sala Fantástica para uma estreia.

Pisámos o palco da Culturgest no âmbito do espectáculo "Compasso de Dança".

A peça foi apresentada em pequenos actos, que serviam de separadores entre os diferentes grupos que actuaram.

Os nervos estavam lá, mas de cada vez que os holofotes se acenderam, os nervos davam lugar a um empenho colectivo e a uma cumplicidade extrema - qual sete magníficos, ali estávamos nós. Prontos a dar o nosso melhor ;-)

A reacção do público não podia ter sido melhor! As reacções às piadas, às expressões... Muito bom! É fantástica a reacção e o calor que sente no palco. Enche-nos a alma.




Sábado, 20 de Junho às 22h00 - Apresentação da peça de Teatro:

" Nós depois telefonamos "

Oficina de Expressão dramática da EDSAE - Encenação: M. A.


À noite, o nervoso miudinho começou a tomar conta de nós, tal como a vontade de fazer mais e melhor.
Agora, a responsabilidade era diferente... na plateia estava muita gente conhecida, mas sobretudo, estavam AMIGOS - a X., que serviu de cicerone ao P.T. e à P.S., o A., com a C. e C. "pequena"... como se isso não fosse suficiente, os AMIGOS estavam na primeira fila...

Eu nem comi caracóis... mas parecia ter caracóis na barriga, ou no estômago, sei lá por onde andavam... Ou seriam borboletas?!

Depois do primeiro grito "33"... estava dado o mote... e a Mel, com acento, Módista de profissão tomou conta. literalmente, de mim!!
Modéstia à parte, acho que me saí muito bem... Confesso que estou ansiosa para ver o DVD!!

Sem dúvida, uma experiência a repetir. O bichinho do Teatro está cá dentro!!
Estou muito orgulhosa de mim...

P.S. 1. - Aos AMIGOS, agradeço a presença e palavras de carinho que me dirigiram.
estas tocaram-me especialmente... e não foi só pelo facto de estar sensível, mas também por virem do meu Amigo P.T
.

"A maquilhagem serve para realçar as características, para esconder os defeitos, para apurar o perfeito, serve para, etc...
Mas esta magia de alterar uma realidade torna-se ineficaz quando se trata de algo interior e não exterior! (...)
Quanto à noite, foi maravilhosa, ao longo destes meses aprendi que que naquilo em que a senhora se mete, é para ser levado a sério, o que não evita a surpresa, boa surpresa, de a ver brilhar. Agora em cima de um palco! Obrigada por e teres deixado fazer parte deste dia, importante para ti! E muitos parabéns pela actriz que há naturalmente aí dentro! Se é para repetir a experiência, também será para repetir a assistência, certo?! (...)


Obrigada P.T.!!
Claro que sim. A noite fez muito mais sentido com os AMIGOS!!

Obrigada por serem quem são e como são!! Gosto muito de vocês ;-)

P.S.2. - Obrigada M. pelo teu apoio incondicional. As palmas também foram para ti ;-)

Ensaio Geral...



... depois de muita merda no ensaio...

Só queremos muita MERDA nas representações.


E "mai" nada!!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Não sei ser de outra maneira...


Fico muito feliz pela felicidade daqueles que me são importantes.
Pela felicidade daqueles que amo.


Mas fico muito angustiada quando os sinto tristes...
Fico a torcer, e estou aqui certa de que vai correr bem... porque tu mereces!!



Somewhere over the rainbow
Skies are blue
And the dreams that you dare to dream
Really do come true

Over the rainbow

P.S. - Força Mano! Adoro-te (vos) ;-)

Lá está...


Ela - ;-)

Ele - Hello. Já vi que não estás na melhor semana...

Ela - Ehehehe

Ele - Ia agora deitar-me quando vi que estavas online...

Ela - Always look at the bright side of life... pelo menos, a tentar...

Ele - Não te quero ouvir assim...

Ela - Entrei para ir ao site da... e vim espreitar se havia alguma provocação...
"the bright side of life..." :-)))) Isto passa, don't worry... Vaso ruím não quebra...

Ele - Uma grande beijoca de boa noite...

P.S. - Coisas simples que sabem bem ;-)

Podias...


fazer-me uma visita... Tenho saudades tuas...

Na urgência de um beijo entre dois corpos que se dedilham num tempo que não existe.

Só me ocorre dizer - Wild Man ;-)
P.S. - Também tenho saudades tuas!

E não é que...


Sabem que mais?!

É certo que a semana não está fácil, mas há que reconhecer que os fins de tarde tem sido divertidos... Always Look on the Bright Side of Life ;-))

A noite de hoje foi bem gira - divertida, quente, e tão simples.... (a avaliar pelo menu)

Como devem ser as coisas boas da vida...
Venham mais momentos destes ;-)

Sete cães a um osso...


Ou deverei dizer... sete mil a uma ponte... ou a uma bicicleta... ou a um capacete?!
Portugal é um País de brandos costumes... Cada vez mais, acho que este sentimento se desvanece.

No âmbito da minha (nossa) participação no Lisboa Bike Tour 2009, eu a B. dirigimo-nos ao fim da tarde ao Pavilhão de Portugal, para levantar o belo do nosso equipamento - capacete, t-shirt e dorsal.

Mal chegámos, confrontámo-nos com uma fila brutal, e com a dura realidade de que já não havia senhas para hoje. (note-se que o atendimento estava condicionado a uma espera de cerca de 3 horas).
Vai daí que a união faz a força... A rebelião começa e a malta zanga-se, faz ameaças, levanta a voz, e fala, fala alto, muito alto. Mas importante do que aquilo que diz, é a forma como o faz...
Resultado... para nos calarem... distribuem mais umas quantas senhas e pagam mais 10€ a cada voluntário ;-)
Nós ainda nos rimos à grande. Claro que também tivemos o nosso momento de indignação. Quando há Palhaços que pensam que são espertos e quando há pessoas tão estúpidas que se tornam coniventes com o auge da má educação e da falta de civismo.
Assim de repente, apenas se me apraz dizer que... tão ladrão é o que rouba, como o que fica á espreita...
P.S. - Há quem tenha apanhado uma seca só pelo prazer de ter a nossa companhia, não é P.T.?! Assume... ficava-te bem ;-)
Não, não me vou pôr de joelhos novamente!!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Twice in a week...

O que é isso para quem ganha 5.000€?!
Bem vistas as coisas, há cenas piores :-)

De que outra forma estaríamos tanto tempo à conversa meninos?!
Em boa verdade... P.T e P.S. eu até tenho algumas ideias em mente... mas tudo bem!

Viram como estou intima do senhor do smart?!...
Ali está um Homem para resolver os "graneis".
Um Homem com um carro que cabe em todo o lado e cheio de jarda ;-) Ehehehehe ;-)

Sabem que mais?! Goste dele!!

Tenho de confessar. Acho-lhe graça!
Como não há duas sem três... para a próxima ligo-lhe directamente para o telemóvel e marcamos algures numa esplanada virada para o Rio...
Sempre sai mais barato uma coca- cola para os dois ;-)

P.S.1 - de facto, desgastamo-nos com merdas... o que é isto para quem já teve uma perda total?!
Brincadeira de meninas... Certo?! Deixem lá vir a conta, para ver se passamos a jogar a outra coisa, boa?!
P.S.2 - Aqui fica o meu OBRIGADA aos meus Grandes Amigos P.T. (a segunda seca da semana) e à P.S. - que se estreou nestas lides ;-)
E claro, obrigada S.P. pela boleia ;-)

Yo no credo en brujas...

pero que las hay, las hay...

Igor Stravinsky...

Igor Stravinsky


И́горь Фёдорович Страви́нский

(17 de Junho de 1882 - 6 de Abril de 1971)




Stravinsky's "The Rite Of Spring" - excerto de documentário

As coisas que eu sei... As coisas que eu aprecio ;-)

Crazy Peolpe around me...


Todos tolos no ensaio...

Se nos divertirmos tanto como nos ensaios
e se a reacção for tão boa como a do convidado de ontem...
Vai ser um Sucesso ;-)

Nota - para que não restem dúvidas,
há que reforçar que só no diccionário
a palavra sucesso se lê antes do Trabalho.
Ah pois é ;-)
Palavra de 'aprendiz' do actuar!

Fiquei fã...

Imagine que encontra um(a) amigo(a) parado(a) na estrada porque não tem carga suficiente na bateria do carro:
Sem cabos para ligar a sua bateria à dele(a), vai ter que o(a) ajudar a empurrar a viatura, ou então não é amigo(a).

Ou então, faz como o meu Grande Amigo P.T. que correu em meu socorro e foi algures - in the midle of no where - em busca de cabos para ligar a minha bateria à bateria do bravo carro dele ;-)

Mas, como em tudo na vida, o tamanho é importante, tal como a dilatação... Não, não mudei o tema e contínuo a falar dos cabos, ok?!

Vai daí, que se liga para a assistência em viagem - afinal, para quê pagar seguro auto?!
E, porque a tradição já não é o que era... o tradicional reboque dá lugar a um ágil e elegante smart... cheio de pinta... já o dono, é um pintas do melhor! Eu achei imensa graça!

E eis se não quando, em vez dos tradicionais cabos, para ajudar a solucionar estas situações de forma pragmática, elegante e higiénica, ele saca da mico bagageira um aparelho...


... com as seguintes vantagens:

- Ajuda no arranque do motor;
- Pode ligar-se ao isqueiro do carro, permitindo desligar a bateria do mesmo para fazer reparações, sem que se perca o código do rádio ou se avarie a centralina; (estou reticente quanto a este ponto... a ver vamos...)
- É como ter uma bateria suplente na mala da viatura, para utilizar sempre que for necessário;
- Tem um foco de luz incorporado para iluminação;
- É prático e elegante ;-);
- Recarrega-se através de um transformador eléctrico ligado a 220V, ou através do isqueiro da sua viatura enquanto viaja;

Eu estou fã deste gadget!!
Coisa para custar 700€, e cujo valor de ligação custa 30€ ao Cliente / Seguradora que o requisita. Não é o máximo?!
Bem vistas as coisas, o que é isso para quem ganha 5.000€?!

P.S. - Bela forma de começar a semana... Como se a chuva não bastasse...

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Minha Querida Avó...



She - Elvis Costello
The Meaning of my life is... She

15 de Junho de 1929, esta é sem dúvida uma data histórica.
Um dia marcante na minha vida.
Foi neste dia que nasceu a minha Querida Avó. Que hoje completa 80 anos.

Digo completa, porque nunca morre quem vive nos nossos corações. Recuso-me a pensar de outra maneira.

Claro que, já aqui o escrevi, este dia sem ti, Minha Querida Avó, tem sempre um sabor estranho, é insípido e sabe a pouco...

Mas a verdade é que para nós estás Sempre perto!
Hoje, queria fazer-te uma grande festa... Eu sei que não faz muito sentido, mas... cantei-te os Parabéns.
Sinto-te perto, e isso não se explica. Sente-se!!

Sabes que és muito especial para mim e sei que um dia... celebraremos juntas os 80 e os outros que nos privaram de festejar juntas...
Um beijo muito grande neste dia que é Sempre Teu...

P.S. - Hoje há festa no céu...
Há pouco, avistei uma única estrela no céu. E o brilho dessa estrela bastou-me.
Gosto muito de ti!

domingo, 14 de junho de 2009

Monólogos da Vagina...


Escrita em 1996 por Eve Ensler, Os Monólogos da Vagina é uma peça de sucesso mundial, com apresentações em mais de 119 países e traduzida em mais de 45 línguas. Baseados em entrevistas realizadas pela autora a mais de 200 mulheres de todo o mundo e diversas realidades, Os Monólogos da Vagina narram histórias do quotidiano feminino, revelando intimidades, vulnerabilidades, temores e vitórias próprias deste universo.

Com um título propositadamente irreverente, a peça pretende chamar a atenção para assuntos tão particulares como a violação, a menstruação, a mutilação, o prazer, as infidelidades conjugais ou as terapias de grupo.

A crer em Os Monólogos da Vagina o universo feminino continua um mistério, mesmo para as mulheres. Um mistério que a peça não chega a escalpelar, mas que encara como uma espécie de sortilégio explorado expeditamente, com graça e sem carga panfletária incómoda.
Para o mundo feminista não ortodoxo, mais inclinado a anteceder o substantivo por um pós, o texto de Eve Ensler (n. 1953) equivale a uma boa acção de agitação e propaganda que encontra o seu devir no palco. Ou seja: difunde algumas ideias básicas e exemplos simples por um grande número de pessoas recorrendo à boa disposição e, ao mesmo tempo, cumpre os preceitos da propaganda, permitindo ao pequeno grupo de espectadores mais sagazes encontrar nas entrelinhas aquilo a que comummente se chama a mensagem, e assim satisfazerem o espírito com algum substrato.



[J. vê bem o plano dos sapatos :-)]


Nesta versão portuguesa, discretamente encenada por Isabel Medina, Guida Maria é quem já sabe ao que vem, pois foi ela, no ano 2000, dirigida por Celso Cleto, quem protagonizou a primeira apresentação de Os Monólogos da Vagina, então no seu quarto ano de vida e popularidade após a estreia numa esconsa sala de Greenwich Village, em Nova Iorque.
É ela também a actriz mais segura e convincente em palco, agora que o partilha com Ana Brito e Cunha e São José Correia, que cumprem a preceito e com brilho os seus papéis, muito por conta da opção da encenadora, quer ao triplicar o número de intérpretes, quer ao confiar nas virtudes do original e na dedicação das actrizes, e, principalmente, ao encontrar-lhes o registo certo, aproveitando exemplarmente o tom reguila familiar a Ana Brito e Cunha e a espontânea feminilidade de São José Correia, deixando a peça ancorada no talento experimentado de Guida Maria, capaz de ser num momento – como diz a canção – uma fera na cama e, no outro, uma lady à mesa.


Excertos de "Os Monólogos da Vagina

"A INUNDAÇÃO

As minhas partes baixas? Já não as visito desde 1953. Não, não teve nada a ver com o Eisenhower. Não, não. Lá em baixo há uma cave. É muito húmida. Descer até lá não é nada agradável. Acredite em mim. Uma pessoa fica agoniada. É sufocante. Dá enjoos. Há um cheiro a humidade e bolor. Ui! É insuportável. Cola-se à roupa.
Não, não houve um acidente ali em baixo. Não houve uma explosão nem um incêndio. Não aconteceu nada desse género. Não foi nada assim tão dramático. Aliás… bem, não interessa. Não. Não interessa. Não posso falar consigo sobre isso. Porque é que uma pessoa inteligente como a menina anda por aí a falar com velhotas sobre as suas partes baixas? Quando eu era rapariga, não era assim que nos entretínhamos. O quê? Deus do céu, está bem.Houve um rapaz. Chamava-se Andy Leftkov. Era giro… bem, pelo menos eu assim pensava. Era alto, tal como eu, e eu gostava muito dele. Convidou-me para dar uma volta no seu carro…
Não lhe posso contar isto. Não posso falar sobre o que há lá em baixo. A gente simplesmente sabe que existe. É como uma cave. Por vezes ouvem-se ruídos lá em baixo. Ouvem-se os canos e certas coisas ficam presas… coisas e animais pequenos. É húmida e por vezes é preciso tapar as fendas. Porém, a porta está quase sempre fechada. Esquecemo-nos de que existe. Repare… uma cave faz parte da casa mas não a vemos nem pensamos nela. Mas existe porque em todas as casas é necessária uma cave. Caso contrário, o quarto seria na cave.
Oh, o Andy, o Andy Leftkov. Certo. O Andy era um rapaz bonito. Era um bom partido. Era o que dizíamos naquela altura. Estávamos no carro dele, um Chevrolet BelAir branco novinho em folha. Lembro-me de pensar que as minhas pernas eram demasiado compridas para o banco. Eu tenho as pernas muito compridas. Batiam no tablier. Eu olhava para os meus joelhos grandes quando ele me beijou de surpresa tal como nos filmes, na cena em que o rapaz abraça a rapariga e a arrebata. Fiquei excitada, muito excitada e, bem, houve uma torrente lá em baixo. Era incontrolável. Era como se uma corrente de paixão, um rio de vida, jorrasse de mim, das minhas cuecas, direitinha ao banco do seu Chevrolet BelAir novinho em folha. Não era urina e cheirava mal. Bem, para ser sincera, não me cheirava a absolutamente nada mas o Andy disse que cheirava a leite azedo e que eu estava a manchar o banco do carro. Eu era uma «rapariga esquisita e malcheirosa», dizia ele. Queria explicar-lhe que o beijo me tinha apanhado desprevenida e que normalmente eu não era assim. Tentei enxugar a torrente com o meu vestido. Era um vestido novo amarelo-claro e, manchado pela torrente, ficou muito feio. Sem me dirigir a palavra, o Andy levou-me a casa e, quando saí do carro e fechei a porta, também fechei a loja. Fechei-a à chave. Nunca mais se abriu. Depois, ainda saí algumas vezes com rapazes mas o receio de outra torrente deixava-me muito nervosa.
Eu costumava ter sonhos. Sonhos loucos. Oh, são disparates. Porquê? Porque eu sonhava com o Burt Reynolds. Não sei porquê. Nunca me entusiasmou muito na vida real mas nos meus sonhos… era sempre eu e o Burt. Eu e o Burt. O Burt e eu. Eu e o Burt saímos juntos. Fomos a um restaurante semelhante a tantos outros em Atlantic City. Um restaurante grande com candelabros enormes e milhares de empregados de mesa com coletes. O Burt dava-me uma orquídea para pôr ao peito. Eu prendia-a ao meu casaco. Ríamo-nos. Ríamo-nos muito, eu e o Burt. Comíamos cocktails de camarão. Camarões enormes e saborosos. Não parávamos de rir. Éramos muito felizes. Depois os nossos olhares cruzavam-se e ele puxava-me para si no meio do restaurante. Quando estava prestes a beijar-me, a sala estremecia, pombos esvoaçavam de baixo da mesa — não sei porque raio havia pombos debaixo da mesa — e surgia a torrente. Jorrava sem parar. E com ela vinham peixes e barcos pequenos e o restaurante ficava cheio de água. Burt estava ensopado até aos joelhos, com um ar terrivelmente decepcionado por eu ter feito das minhas outra vez, e olhava horrorizado para os seus amigos, o Dean Martin e outros tantos, que passavam por ele a nadar nos seus smokings e vestidos de noite.
Já não tenho estes sonhos. Desde que me tiraram praticamente tudo o que estava nas partes baixas. Retiraram-me o útero, as trompas, tudo. O médico quis armar-se em engraçadinho. Disse-me que era melhor deitar fora o que já não tinha uso. Mas descobri que afinal era um cancro. Tiraram-me tudo. De qualquer modo, quem é que precisa de tanta coisa? Não é verdade? É algo muito sobrestimado. Já fiz outras coisas. Adoro exposições de cães. E vendo antiguidades.
O que escolhia para ela? Que espécie de pergunta é essa? O que escolhia? Escolhia uma enorme tabuleta:«Fechada devido a inundação.»O que diria ela? Eu já lhe disse. Não é bem a mesma coisa. Ela não é como uma pessoa que fala. Calou-se há muito tempo. É um lugar. Um lugar onde ninguém vai. Está fechada, nos subterrâneos. Fica lá em baixo. Está satisfeita? Já falei consigo… arrancou-me as palavras. Fez uma velhota falar sobre as suas partes baixas. Está satisfeita agora?
Sabe, na verdade, é a primeira pessoa a quem contei esta história e sinto-me mais aliviada."


"A MINHA VAGINA ERA A MINHA ALDEIA

A minha vagina era um campo verde com flores rosadas e claras, onde as vacas mugiam e o sol repousava, e que um meigo namorado tocava suavemente com uma pequena palha dourada. Há algo entre as minhas pernas. Não sei o que é. Não sei onde está. Não lhe toco. Agora não. Já não. Desde então.
A minha vagina era tagarela, impaciente, tinha tanto para dizer, muitas coisas para contar, não desistia e não se calava. Ó sim, ó sim.Desde que sonho que nela existe um animal morto cosido com linha de pesca negra e grossa. E o terrível cheiro deste animal morto não desaparece. A sua garganta foi cortada, sangra e suja os meus vestidos finos de Verão.
A minha vagina cantava as canções das raparigas, as canções tilintantes dos badalos das cabras, as canções dos agrestes campos no Outono, as canções da vagina, as canções da vagina que era o meu lar.Desde que os soldados a trespassaram com uma espingarda grande e grossa. O cano de aço gelado cala o meu coração. Não sei se vão dispará-la ou empurrá-la até ao meu cérebro e girá-la. Entre eles, seis médicos monstruosos com máscaras negras enfiam garrafas dentro de mim. Vejo paus e o cabo de uma vassoura.
A minha vagina nadava nas águas do rio, nas águas límpidas que jorravam continuamente sobre as pedras queimadas do sol, sobre o clítoris duro como as pedras sobrepostas nas margens do rio.
Desde que ouvi a pele rasgar-se e guinchar, desde que fiquei com um pedaço da minha vagina na mão, uma parte do lábio que já não existe.
A minha vagina. Uma aldeia cheia de vida e húmida à beira do rio. A minha vagina era a minha aldeia.
Desde que homens que cheiravam a fezes e a carne fumada se revezaram durante sete dias e deixaram o seu esperma hediondo dentro de mim. Tornei-me um rio de veneno e pus e todas as colheitas morreram. Tal como os peixes.

A minha vagina era uma aldeia cheia de vida e húmida à beira do rio.
Eles invadiram-na. Chacinaram e incendiaram-na.
Agora já não lhe toco.
Não a visito.
Já lá não vivo.
Não sei onde fica."

Estes dois momentos foram, majestosamente narrados pela actriz Guida Maria. Há ainda que fazer referência a um outro momento igualmente brilhante - o dos orgasmos. Literalmente, delicioso ;-)

P.S.1. - Depois de ver esta peça. Só me ocorre dizer "A minha vagina sou eu!!" ;-)
Cada vez gosto mais dela... talvez porque cada vez gosto mais de mim!!

P.S.2. - J. viste como acertei no Orgasmo ;-) As coisa que eu sei. Ehehehehe ;-)

P.S.3. - Obrigada C. pelo convite e pela companhia do A. e da J.

Parabéns Avó N...


A avó N. celebra hoje mais um Aniversário.

São já 86 anos de uma vida muito preenchida.
Porque desejar outros tantos é, infelizmente, perda de tempo,
acho mais sensato desejar que cada dia seja
um passo na sua recuperação e que cada dia seja
feito de serenidade, ternura e carinho.

Um grande beijo desta "quase" neta ;-)

Uma noite para recordar...

"Um desfile de músicas que gosto". Foi desta forma que o D. definiu o seu concerto.
Eu, não podia estar mais de acordo ;-)

Desfilaram ao longo da noite temas como:

- Primeiro dia do resto da tua Vida, de Sérgio Godinho;
- Sorriso, dos Trovante;
- Fora de tempo, de Luís Represas;
- Alice, da Ala dos Namorados;
- Roxane, dos Police;
- I get a kick out of you, de Frank Sinatra;
- Feeling Good, de Frank Sinatra;
- I Love Paris, de Frank Sinatra;



- Just the way you are, de Billy Joel
Um dia ainda me hão-de dedicar esta música.
Adorei a cumplicidade dos vossos olhos ;-)

-Fly me to the moon, de Frank Sinatra;
-Angel Eyes, de Frank Sinatra;



- No Teu Poema, de Carlos do Carmo;
Adoro!! Uma excelente marca desse grande ano que foi 1976 ;-)
Chorei como se não houvesse amanhã...

- Cavalo à Solta, de Fernando Tordo;
- Na terra dos Sonhos, de Jorge Palma;

Para fechar, dois originais, lindos de morrer!
Um concerto intimista, numa noite de amigos. Conforme escrevi na mensagem que enviei ao D. ainda durante o concerto, "Simplesmente fantástico! Muita Merda Amigo, que é o que de melhor se pode desejar a quem sobe ao palco (as coisas que eu sei). Venham mais noites como esta! Mesmo que te esqueças da letra... Enquanto... eu escrevo a mensagem ;-)"

Venham mais!! Que eu vou.
Tenha de passar a ponte, ou não! Como diz o Abrunhosa, "que nunca caiam as pontes entre nós" ;-)

sábado, 13 de junho de 2009

Mais uma noite a ripar...


O Cinema de S. Vicente recebe um espectáculo de David Ripado, às 21.30 horas.


Foi através do programa televisivo "Operação Triunfo", que David Ripado se popularizou junto do grande público, alcançando o estatuto de um dos mais promissores cantores da música nacional.

Este concerto revela a vontade de explorar e homenagear compositores portugueses e estrangeiros. Faz-se acompanhar por uma formação composta por piano, contrabaixo e bateria. Artistas como George Michael, Frank Sinatra, Michael Bublé, Rui Veloso, entre outros, vão ouvir-se neste espectáculo. O espectáculo tem o custo de 4 euros, sendo que existe um desconto de 50% para jovens até 25 anos, reformados e funcionários da autarquia do Seixal.

P.S. - Se eu vou?! Claro ;-) Ia lá perder o meu Amigo a cantar!
Depois conto como foi ;-)

Alfama é Linda ;-)...


A Marcha Campeã, juntamente com Castelo.

Já disse que não morro sem descer a Avenida numa marcha!!
Tá dito, tá dito!!

Variações...


Há precisamente 25 anos, no dia 13 de Junho de 1984, as rádios nacionais (e mais tarde, a televisão pública) chocavam o país ao noticiarem a morte prematura de António Variações, por complicações respiratórias, na Clínica da Cruz Vermelha, em Lisboa. Apesar de nunca ter sido oficializado, muitas suspeitas apontam para a sida como uma das causas da morte do cantor minhoto, cujos tratamentos eram na altura precários.

António Variações seguiu um dos trajectos mais singulares da Música Moderna Portuguesa, através de uma estética que ligava, como o próprio dizia, Braga a Nova Iorque, isto é, o folclore nacional ao synth-pop. O início do seu estrelato pop com quase quarenta anos de idade, a abrangência de público que conquistou (da faixa mais intelectual à mais popular), a figura excêntrica e a quantidade de músicas e êxitos que conseguiu publicar no seu brevíssimo espaço de atenção pública (de 1982 a 1984) são outros dados que eternizam António Variações como uma das figuras musicais mais incontornáveis da música portuguesa do século passado.

Dois álbuns de originais - "Anjo da Guarda" (1983) e "Dar e Receber" (de 1984) -, várias compilações e numerosos hits como 'Canção do Engate', 'É P'ra Amanhã', 'O Corpo é Que Paga' ou a versão então arrojada de 'Povo Que Lavas no Rio' (que a sua mais famosa intérprete, Amália Rodrigues, elogiou) alimentam hoje a lenda em torno de Variações, também conhecido por ter aberto o primeiro cabeleireiro unisexo em Portugal (a sua profissão diurna). Ainda me lembro que uma vez me cortou o cabelo com uma gilete... medo :-O. Lembro-me de ter adorado o resultado ;-)



"Quando a cabeca nao tem juizo
E te consomes, mais do que é preciso
O corpo é que paga
O corpo é que paga
Deix'ó pagar, deix'ó pagar
Se tu estas a gostar...
Deix'ó sofrer, deix'ó sofrer
Se isso te da prazer..."

(No outro dia, o B.C. entrou na minha sala e eu cantarolava esta música. Estava precisamente nesta estrofe... para quem conhece o B.C., fui altamente gozada. Sobretudo pela parte do "Deix'ó pagar, deix'ó pagar. Se tu estas a gostar..." segundo ele, esta estrofe diz muito ;-))

O seu reportório tem sido recuperado postumamente em álbuns de homenagem como "Variações - As Canções de António" (de 1994) e tem valido sucessos a outros nomes da música portuguesa, como os Delfins, que se projectaram com a versão de 'Canção do Engate', na segunda metade dos anos 80.

António Variações daria origem a um segundo fenómeno a si relacionado, o projecto Humanos, que reuniu nesta década David Fonseca, Camané e vários membros dos Clã (como a vocalista Manuela Azevedo), para um álbum de estúdio único, "Humanos", composto por inéditos do falecido cantor. O êxito que 'Maria Albertina' granjeou, com uma letra e uma melodia que o grande público trauteou, fez lembrar os feitos em vida de António Variações.

Foi uma pena ter desaparecido cedo de mais... digo eu!!

A Banhos...

Nada como sol, mar e bolas de berlim... com creme ;-)
Hummm :-D

Salsa @ Blues Café...


Pois que a noite deu para "tudo", conversa, muita conversa, dança, muita dança.
Salsa e Kizomba, naturalmente.
A primeira dança foi com o meu Querido P.N., que me desafiou ;-) Obrigada!!
Salsa is the racing-heartbeat of Latin music.
Get ready to dance!

P.S. - Obrigada A. pelo desafio e pela, excelente, companhia!
Para a próxima descalço-me ;-)

No Baco titi...


O L. estreou-se no mundo da navegação.

Lá estava ele "ao leme" em direcção a Tróia feliz e contente, enquanto olhava para a água, para a "paia" e para o peixe...
Corria de um lado para o outro, afoito para não perder nada, ao mesmo tempo que exclamava: "Titi oia..." ;-) " o baco é amaielo"
(Ainda estou para perceber porque é o amarelo sempre a primeira cor a ser seleccionada pelo L.)

Claro que a viagem foi uma excitação!!

Amo-te Bebé G. :-)

P.S. - Nesta viagem embaram o L, a Titi, o Vô, a Vó, a P. e o R.

Lisbon Calling...


Pelo segundo ano consecutivo, assisti a mais uma edição - a segunda - do Lisbon Calling. Desta vez, com o mais alto patrocínio do patrão...
Depois de um breve repasto no MacDonalds, lá fomos nós - eu, claro, J., B., D., H.P., P.S., feitos loucos para mais uma sessão non stop.
O M.P, A.R. (minha amiga gémea) juntaram-se a nós já durante o espectáculo.
Uma verdadeira canseira :-P

O cartaz prometia uma noite diferente e pontualmente nostálgica. E em boa verdade, não fomos enganados.
Cantámos, rimos e dançámos e pulámos como se não houvesse amanhã. Até os gradeamentos saltamos, dá para acreditar?!
Mais uma vez, a salsa dançou-se em ritmos diferentes. Nada como encontrar o tempo 1, não é J.?!



The Tubes - White punks on Dope
Não é bem a minha onda... mas as "botinhas" fizeram as minhas delícias ;-)



Carbon/Silicon - The News



Foreigner-I Want to Know What Love Is
Sem dúvida, um dos momentos altos da noite...



Foreigner - Waiting for a girl like you

Sem dúvida, para mim. para o D. e para mais uns quantos, a melhor banda da noite.
O Senhor mantém o mesmo timbre, o mesmo ritmo, é simplesmente fantástico.
Curti(mos) à brava ;-)



Madness - Our House

My House , foi justamente o que desejei depois de ouvir esta música, já o relógio passava das duas horas da manhã... e nós ali desde as 20h... :-P

Ensaios e mais Ensaios...

Cada vez me divirto mais...
o cansaço toma conta de mim (nós)...
e a ansiedade também.
Estão quase a acender-se os holofotes ;-)

terça-feira, 9 de junho de 2009

Parabéns B.A....

Para o "Enginheiro" que não pára de correr Portugal de lés a lés...
ele é Beja, Lisboa, Porto, Évora, Ponte de Sôr e sei lá mais o quê :-)
Um grande beijo e um dia cheio de bons momentos!
P.S. - Para quando um pé de Salsa?!

Muitas Saudades...


"Saudade é o que fica de quem não pode ficar".

Esta foi uma frase que me fez pensar...
Antigamente costumava pensar que sentir saudade era algo negativo.

Magoava-me a falta que sentia de alguém que não está por perto...
Hoje percebo que a saudade é aquilo que nos resta... É aquilo que nos prende a alguém e não nos deixa esquecer...

Jamais vou lutar para esquecer... só tenho saudades de quem me marca... de quem me é importante.
A minha guerreira F. estará sempre por perto, porque é assim que era... porque é assim que será.

Basta querer... basta sentir.
Eu sinto... eu quero!

Com uma saudade que por vezes não cabe em mim e transborda... nos olhos.
Com o carinho e a admiração de sempre.
Um beijo muito grande, deste lado do caminho...
N

P.S. - Para ti B., um abraço cheio de força e, claro, um beijo grande.

domingo, 7 de junho de 2009

Um pequeno grande luxo...

porque eu mereço!!

Missão Cumprida...




... porque é urgente mudar...
Será preciso dizer mais?

Uma noite sempre a ripar (2)...



Jason Mraz -I'm Yours
Lá está... a velocidade ;-)



Bob Marley - No Woman No Cry
Quem disse?!



Vaya con dios - Don't Cry For Louie

Lembro-me de os ver no Coliseu ;-)



Ray Charles - Hit the road Jack

On the road ou no copo?! Ehehehe ;-)



The Police - Message In A Bottle
Oh, para mim a caminho da ilha ;-)



Ben Harper - Steal my Kisses
Às vezes tem graça... mas só às vezes...



Bob Marley - Is This Love


Is this love - is this love - is this love -
Is this love that I'm feelin'?
Is this love - is this love - is this love -
Is this love that I'm feelin'?
I wanna know - wanna know - wanna know now!
I got to know - got to know - got to know now!




Radiohead - Creep Acoustic
You are special, I'm special... we are special ;-)



Morcheeba - Rome Wasn't Built In A Day
Nem Roma, nem Pavia...



BB KIng & U2 "When Love Comes To Town"
...à cidade, ao campo, à vila... é sempre bom!



Beatles - Help!
Está tudo dito, não?!

P.S. - Mais uma noite gira, pena que vocês estivessem tristes...
Sábado estamos lá... não há duas sem três ;-)

sábado, 6 de junho de 2009

Por falar em eleições...



Estou em período de reflexão...

7 de Junho (das 8 às 19 horas) em todo o território nacional português
5, 6 e 7 de Junho (das 8 às 19 horas) em território estrangeiro

Porque votar é mais que um dever... é um direito!